sexta-feira, 26 de dezembro de 2008

O AMOR E A SAUDADE

Brincar com as palavras...

Palavras essas que tem o poder de curar as pessoas... mas também tem o poder de destruir se não são bem usadas...

Nesse ano de 2008, existiram várias razões para que eu escrevêsse sobre a vida, sobre os sentimentos que me assolaram. Fiz pessoas chorar de felicidade, mas também fiz chorar de tristeza. Mosaico de emoções muitas vezes impensadas por mim e pelo meu coração.

Pergunto-me hoje: Ainda existe razão de ser escritor? Existe ainda o motivo?! Será que você ainda terá o mesmo gosto em ler meus pensamentos?

À poucas pessoas dei o direito de conhecer a minha alma. E nenhuma dessas pessoas foi como você nesse ano que está terminando! Despertou em mim as emoções mais diversas, possíveis e imagináveis!

Lendo os grandes pensadores, que tinham uma alma tão grande que não cabia dentro deles, entendo a razão pela qual escreviam! Extravasar emoções, sentimentos que ficam contidos no limite da razão e da consciência!

Partillho com você a alma! A alma que escreve sobre aquilo que se sente em determinado momento do dia, da semana, do mês!

Queria hoje poder partilhar a alegria que não acaba! Mas esbarro na minha humanidade. Nas minhas limitações, que fazem com que minha voz, tantas vezes utilizada para tantas coisas, fique embargada até o ponto de não mais conseguir falar...
Busco no vento, no sol, a alegria que outrora senti ao olhar para essas situações! Natureza! Hoje, sinto essa saudade. Como expressar? Saudade. Saudade de quem está vivo é pior do que a saudade qus sentimos daqueles que já se foram.

Hoje é dia 26 de Dezembro. Oitava de Natal. Pergunto-me: Ainda tens vontade de entender e compreender a minha alma?! Volto à escrever, pois a inspiração nunca se foi! Sempre esteve ao meu lado! Apenas ficou um pouco mais distante! Posso escrever sobre as alegrias da proximidade, mas também sobre as tristezas da distância que surgiu...

Independente de tudo, agradeço a inspiração! A fonte de graças inesgotáveis que sempre foi! No fundo, todos somos incompreendidos pelo nosso ser! Estamos nos descobrindo, dia-a-dia.
E é através dessa inspiração que escrevo hoje, que escreverei amanhã, e depois de amanhã...
Acredite, é uma maneira que encontro de matar a saudade de sua alma também! Alma que amo! Alma que me fez descobrir que não tenho todas as respostas! E que me ensina que em Deus, mesmo que quase que se esgotando, a grandeza interior nos dá uma segunda chance!

Segundas chances, no meu caso!

Digo à você, fonte de inspiração: Obrigado! Obrigado por tudo! Eu poderia escrever anos e anos. Nunca seria capaz de agradecê-la à altura. Almejo fazê-lo, porém, sei que nunca conseguirei.
Como pessoa que sou, só posso dizer à você: você me ensinou à te amar! Me cativou! Hoje, tenho de aprender a lhe dar melhor com o fato de não estar tão próximo como antes. Independente da distância, o amor e a saudade persistem!

Creio que a saudade sempre irá me acompanhar. E se você sente isso também, uma alegria me invade o coração! Na essência, creio eu, esse amor verdadeiro jamais deixará de existir e de viver! Afinal, só se tem saudade daquele ou daquela que se ama!

Se sinto saudade, é porque amo você, com o mais belo, puro e fraternal amor que Deus poderia permitir que eu sentisse!!!
Quero cultivar esse amor todos os dias! Perto ou longe, conte com o meu amor e minhas orações!!!

Você foi, é e sempre será alguém extremamente importante em minha vida.

Sempre!!! Eternamente!!!





Postar um comentário