quarta-feira, 26 de setembro de 2018

De chegadas e partidas

Muitas vezes, nas madrugadas de anos anteriores, eu me pegava aqui, no blog, com essa página em branco, fazendo exatamente o quê estou fazendo agora. Ouvindo a música que vou postar, enquanto deixo a imaginação correr solta para que eu possa redigir o conteúdo.

Que triste. Chegamos a uma etapa da vida que nós mesmos temos a plena certeza de que, o quê temos para dizer, não é mais relevante. Quando mais jovens, pensamos que podemos fazer a diferença no mundo, nem que seja no mundo de alguém que amamos, ou que nem conhecemos. 

Tudo se vai. Tudo passa. Pessoas mudam, realidades se transformam.
Até mesmo a artista que postarei aqui. Que saudade de vê-la em turnê. De ver novas canções em sua bela voz. Mas devido a um problema de saúde que teve, acabou se desviando da música. Não oficialmente. Nunca disse que não gravaria mais. Mas basta dar uma olhada em suas redes sociais. Raramente posta algo sobre música. Vez ou outra ainda acontece. Mas é cada vez mais raro. Assim como eu e você, parece ser uma outra pessoa, dados os anos que passaram.

O tempo nos transforma. E toda mudança é necessária e bem-vinda. 
Mas o quê fazer uma alma saudosista?
Sente falta do quê foi. Insegurança de viver o presente? Medo do futuro?
Não creio que seja nem um nem outro. 

Foram as realidades palpáveis que se perderam no tempo. As oportunidades que surgiram e que não foram aproveitadas. Realidades que poderiam ter sido e que não foram. E que ainda nos dias de hoje assombram as almas daqueles que sabem que tudo poderia ter sido diferente ou não. Vivem as penalidades do tempo de um tempo que não volta nunca mais. 

Saudade de pessoas que existem, sem existir como antes. Pessoas que se foram. Que foram.
Ainda existem aqueles e aquelas. Mas também não são os mesmos.
Eu mesmo, querido leitor, querida leitora.
Me pego de vez em quando, lendo posts antigos. 
Aquele era eu. Hoje, sou outro.
Será que alguém também sente saudade de quem fui? Não sei...
Penso que são poucos os que se atentam a isso. A grande maioria permite que o tempo passe, sem prestar atenção nele. O quê é benção para uns, é maldição para outros. Singela e doce vida.
Vida que nos leva e empurra pra frente.

Quantas e quantas vezes ouvi dizer que o ontem não existe mais, que o amanhã ainda não chegou, e que por isso temos somente o presente do hoje.

Quantos "hojes" se passaram até eu chegar até aqui. Quanta coisa, blog... Quantas alegrias... Quantas tristezas... Chegadas e partidas...

E assim vai ser. Assim vai sendo. Descobrindo a cada dia, um dia de cada vez. 
Viajando e vivendo. Vivendo, e existindo. Um dia. De cada vez.

quinta-feira, 13 de setembro de 2018

SÓ PRA NÃO DIZER QUE EU NÃO VIM...

Galera do céu...
Que saudade de me expressar por aqui!
Adianto que não tenho nada a dizer. Fato.
Mas deu uma saudade gigante de abrir essa página, e mesmo sem assunto nenhum, deixar de passar por aqui.
O tempo do blog morreu. Não existe mais.
Claro. Existem aqueles que mantém a chama da escrita acesa, mas a realidade é a de que os vídeos dominam. Eu, vez ou outra, ainda me arrisco em programas on demand de áudio, os conhecidos podcasts. Esses também ainda estão em voga. 
Mas ler... Dá uma gastura, né? Quem tem tempo pra ler hoje em dia?

Você mesmo é um/uma herói/heroína por chegar até esta linha!
Mas ok. Não tomarei mais do seu preciosíssimo tempo.
Para não perder o costume, fuca um som aí pra você conferir.
Falando em vídeo...

quarta-feira, 20 de junho de 2018

TÁ TENO COPA!

Madrugada de 20 de Junho de 2018. Ouvindo aqui a música da Gloria Estefan que ilustra esse post, me vem à mente o fato de como os anos passam rapidamente. 

Desde que me conheço por gente, sempre tive os jogos olímpicos e a Copa do Mundo como parâmetros de tempos que se vão. Por exemplo, ao final dessa Copa da Rússia, pensarei que, na próxima realização desses jogos de futebol, terei os meus 42 anos de idade! 

Antigamente pensava: "Será que estarei casado? Terei os meus filhos?!" 

Hoje em dia, não penso em nada disso. Não que não acredite que essas coisas não irão acontecer, pelo contrário! Espero que aconteçam! Mas o tempo e a vida nos ensinam que nem tudo é como a gente quer, e que não tem nada de errado nisso! 

Nas últimas olimpíadas, tinha 36! Na próxima, terei meus belos 40! 

Assim é a vida, amigos! Cada dia é cada dia. 

Que busquemos viver bem. 
E vai Brasil!

terça-feira, 10 de abril de 2018

CANSAÇO, VACINA E "THE TERROR"

Primeiramente, deixe-me saudá-los. Se é a primeira vez que você chega no meu blog, saiba que é uma honra ter sua visita por aqui. Segundamente, anuncio que a partir de hoje, para eu não me perder nos assuntos que escreverei, vou enumerá-los já no título dele. Durante muito tempo dei o título só depois de escrever o conteúdo. Funcionou por um bom tempo, mas confesso que não dá mais.  
Pra me inspirar, trarei coisas do meu dia-a-dia, e terei como companhia a Rádio Saudade FM, de Santos, que vou sintonizar agora.  ouvindo a rádio "Romance" na NET, mas nada me agrada. E como sou apaixonado pelo rádio, vou migrar pra lá. Só um segundo... 

Pronto. Tá rolando Lobão, "Me chama", de 1984. Nem curto muito o som desse cara, mas vou ouvir a rádio assim mesmo. E pelo que  vendo, se eu for fiel a esse propósito de escrever sobre os assuntos que enumerar no título, o papo vai render. Por isso, se você já se cansou da minha escrita, agradeço por pelo menos ter tentado. 

à você que continuou, o meu muito obrigado. Seguimos juntos. 

Sobre o cansaço: Sim. Hoje foi um dia daqueles. Tudo porque deixei para renovar minha CNH hoje, e pra quem já o fez, sabe da burocracia que isso exige. Ida ao Ciretran, médico, banco e afins. Enquanto mofava na instituição, aguardando o agendamento do médico, batia um papo com uma amiga minha que lá estava, sobre febre amarela, assunto recorrente em minha cidade, nos últimos dias. 

A campanha começou meses atrás. Mas como os casos eram longe de minha cidade, e achei tudo mal explicado, havia preferido não tomar a vacina. Pra mim, era só uma desculpa para o governo (ou seria desgoverno) ganhar (mais) uma graninha em cima da gente. Amigos até tentaram me falar da importância, mas não dei ouvidos. 
Fato é que, semana passada, uma senhora foi picada pelo mosquito estrupício aqui em meu bairro. Fico feliz em dizer que ela se tratou e está curada. Infelizmente, uma jovem não teve a mesma sorte. Não só eu, mas muitos de minha cidade estávamos rezando e torcendo por ela. Infelizmente não resistiu. Tomei a vacina na última sexta, dia 06 de Abril. Uma sexta quente daquelas. Aliás, cadê o clima do outono?  
Sei que a imunidade só vem lá por volta do décimo dia depois da vacinação, e que nesses dias, algumas reações podem se manifestar na pessoa. Eu poderia até acreditar que o fato de eu estar detonado nesta noite, teria como motivo a bendita vacina, mas não. Creio que foi por ter andado o dia todo atrás do já mencionado documento. 

"The Terror" trata-se de uma série que  vendo no canal AMC. O trailer é fantástico. Mas confesso que pra mim, ela está arrastada demais. E mais: com o advento da Netflix, acredito que eu esteja desacostumado a ver séries com intervalos comerciais. Que chatice. Dez minutos de série, e um intervalo entre esses "10 em 10". 

Só que, como já comecei, pretendo terminar. Na noite em que escrevo esse post, foi ao ar o quarto episódio. Acho que vou gravar semana que vem, pra poder usar o fast forward com gosto. 

Não quero perder tempo explicando sobre o que é a série, por isso, vou postar um trailer dela aqui.  


E falando em séries, deixo antes de terminar, uma dica, pra quem não quiser perder boas dicas no serviço da Netflix (pelo menos tem me ajudado): Se inscrevam no canal deles no Brasil! Sempre aparecem os trailers dos lançamentos. Já tive excelentes surpresas acompanhando os vídeos deles. Séries e filmes que teriam passado batido se não os tivesse visto por lá! 

Pra quem já assistiu "Millenium – Os homens que não amavam as mulheres" e "Onde está segunda?" (este último, um original deles), fica a dica de "Conspiração Terrorista", com a bela Noomi Rapace. Comecei a ver ontem, mas tava com um sono medonho. Ia terminar de ver hoje, mas por eu ter ficado zanzando o dia inteiro, precisei adiar para uma outra ocasião. Mais uma vez, deixo o trailer aqui pra você dar uma olhada. 


Feito tudo isso, me despeço por aqui. 
A música do dia fica por conta da aniversariante do dia, completando 31 anos de uma bela voz.  
Hayley Westenra. Menina essa que passou por sérios problemas de saúde, depois de ter participado do DVD das "Celtic Woman", do qual já falei uma porrada de vezes aqui. Outro dia falarei sobre esse episódio sombrio na vida dela. Ou não, sei lá. De qualquer maneira, fico feliz que (aparentemente) tenha vencido o distúrbio. Não a vejo falar muito de sua carreira nos últimos tempos. Ela pouco menciona sobre isso no Instagram dela também.  
Música que foi inspirada na obra "O morro dos ventos uivantes", que leva o mesmo título da obra (em inglês, claro), "Wuthering Heights". 

Tenham um ótimo dia dez. Obrigado pela visita. 
Parabéns, Hayley! 
E até o próximo post.