segunda-feira, 22 de outubro de 2012

Imaginando o seu sorriso

Olho para o vento, se é que isso é possível, e ouço o sussurrar do mesmo.

Um arrepio (por causa do ar gelado) invade o meu corpo.

Mas continuo. Sem desistir. Não posso. Não me é permitido.

Quem não permite? Eu mesmo!


Sigo convicto de cada passo que dou. 
Devagar, é verdade. Mas sou adepto da idéia de que "devagar se vai ao longe".
Tá certo que o meu tempo é diferente do tempo das pessoas. Mas nunca tive problema com isso.
E não é agora que vou começar à tê-lo.


Não quis deixar de registrar isso aqui. Até porque disse à você que estaria mais presente.
Sei que prometi tanta coisa à você... Coisas que não tive (e nem teria como) cumprir.
Mas acho que você entende o por quê de cada coisa, cada promessa.

A gente aprende com o andar da carruagem que as pessoas são mais felizes com nossas sinceridades do que com nossas vontades de fazê-las felizes!

O que desejo nessa noite, é imaginá-la sorrindo, enquanto lê essas linhas.
Queria estar aí pra ver esse sorriso...

Mas não tem problema! Minha imaginação funciona bem!
E sua imagem é gravada aqui, no meu coração.




Postar um comentário