segunda-feira, 2 de março de 2015

"Diga boa noite, não adeus."

Meu irmão costuma me dizer que sou fã de uma tragédia.
Isso porque me amarro em filmes e histórias que nem sempre acabam bem.
Sabe esses filmes e séries que você assiste, e que não terminam como você adoraria que terminassem?
Costumo dizer que essa é a diferença entre as séries, filmes e novelas.
No Brasil, as novelas geralmente terminam em samba e casamento. Tudo se amarra no final
Mas na vida real, isso está longe de ser verdade.

Aí você poderia dizer "Márcio, se eu quiser algo da vida real, basta viver, e não assistir nada!"
Sim, isso seria uma boa opção! Mas pra quem curte esses produtos, difícil ficar sem!

Acabo de rever os dois últimos episódios de "Dawson's Creek", série que amei assistir no início de minha juventude. Comecei a ver na Globo, mas, sacuméquié canal aberto, né?

Numa bela manhã de sábado, lá se foi o último episódio da primeira temporada, e depois nunca mais a emissora carioca colocou sequer uma mísera continuação no ar.

Esperei literalmente anos para ver a continuação. Àquela época, não tinha como bancar canais a cabo.
Anos mais tarde, consegui!

E a série acaba de um jeito meio trágico para uma certa personagem que sempre gostei. Não sei se posso dar spoiler aqui, pois essa série já é antiga... Mas vai que alguém queira ver... Atualmente, está disponível no NOW, serviço on-demand da NET! Procurei os boxes de todas as temporadas para comprar, mas sempre encontrava uma ou outra, e nunca a série completa. Por isso, até o momento, desisti, e fiquei com a versão digital do serviço que pago. 

Caso seja assinante e se interesse, acesse no canal Claro Vídeo, séries. Lá tem as seis temporadas. É uma série de drama adolescente, mas que até para adultos (como eu nos dias de hoje) ainda é interessante!

Esse último episódio nos leva a pensar se estamos aproveitando bem o tempo que temos. Essa é a leitura que faço desse S06E24. Eu pelo menos, paro pra pensar em minha família, amigos, pessoas que fizeram parte de minha história, que ainda fazem e que sempre farão.

Mudar é inevitável. "Crescer é perigoso"! Coloquei essa frase entre aspas pois quis citar o título de um livro que li, se não me engano escrito por Márcia Kupstas (Yes! O Google não me deixa mentir), que foi de vital importância pra mim na minha adolescência!

Aliás... Parece que quando adolescente eu lia mais, aprendia mais... Não sei se hoje, com as responsabilidades, o trabalho, o tempo se tornou escasso demais, ou se naqueles idos anos, eu realmente tinha mais afinco nesse "aprender"...

Livros, músicas... Sempre fizeram parte de minha vida. Costumo dizer (costumava com mais frequência, desculpe o excesso de parênteses) que a vida é bem melhor com trilha sonora. E a que compõe Dawson's Creek sempre me acompanhou de perto. Gosto muito das músicas desse seriado.

E tava relembrando, revendo hoje os dois últimos episódios. Estou ouvindo agora mesmo um CD que tenho, que faz parte da segunda temporada da série. As músicas, no caso!
São como vinho! Quanto mais o tempo passa, melhores elas ficam!

Ontem, alguém me disse que eu deveria recuperar algumas características que me custaram tanto aprender a deixá-las para trás. Desaprendi. Não convém colocar detalhes aqui. Aprendi a ser mais reservado quanto à minha vida particular na internet, afinal, escrevendo aqui, o mundo inteiro, literalmente, pode ter acesso ao quê escrevo.

Já escrevi "N" vezes, anos atrás, que costume é algo que se adquire e que se perde, e que a inconstância mata qualquer coisa. Se tiver um leitor ou leitora mais antigo(a) por aqui, vai lembrar disso! Essas coisas pra mim continuam como verdades.

Quando vamos ficando mais velhos, vamos nos acostumando com quem nós somos, com quem nos tornamos. O quê pensam de nós, deixa um pouco de ter importância. Isso não significa, em hipótese alguma, que as pessoas que buscam nos aconselhar, perderam seu valor e sua credibilidade. Muito pelo contrário! Mas a essa altura da vida, você já espera ser aceito como você é! Com seus costumes, vícios, características e afins!

E se não te aceitam também, não somos mais aqueles adolescentes que buscam ser aceitos nas rodinhas das escolas, colégios e/ou faculdades.

Mas isso tem um lado ruim. 
Se você não se dobrar pelo menos um pouquinho, corre o risco de ficar sozinho.
Por isso, é sempre bom ouvir um conselho do tipo "recupere algo que era bom em você".

Faz pensar.

Partilha! Essa era uma palavra que eu havia abolido da minha realidade. Mas não deixa de ser uma partilha o quê acabo de fazer aqui! E com conhecidos e desconhecidos que acessarão essa página e a lerão, quer seja pelo registro de e-mails aqui no blog, Facebook ou Twitter! Quem sabe até por um search no Google!

Um padre que eu amo de paixão, que já está na eternidade, sempre dizia em suas pregações, "viva cada dia de sua vida como se fosse o último. Um dia você acerta!"

Espero estar agindo certo. Comigo e com as pessoas que me são importantes.
Espero recuperar as características que me eram essenciais. Não porque alguém me disse, mas porque faziam bem para mim.

Excelente início de semana pra você.

Postar um comentário