quarta-feira, 2 de dezembro de 2015

SOBRE SAIR OU NÃO DO FACEBOOK.

Sim. Sem rodeios. É sobre isso que quero falar hoje.
É madrugada, tô aqui acordado como bom notívago que sou, e lendo e relendo algumas mensagens que algumas pessoas deixam pra mim na rede do Zuckerberg, me recordo da vontade que tive, tenho e terei de sair de lá.

Mas pergunto, caro leitor(a): és um(a) usuário(a) do quase extinto e-mail?
Penso que e-mails só existem AINDA para que as pessoas possam se registrar nas redes sociais. No Facebook, inclusive.

Você tem um e-mail pra eu te mandar tal coisa depois?
"Ah, manda no meu ~feice~!"

Ninguém mais fala de e-mail!

Dias atrás, uma das pessoas que conheço por lá bradava a plenos pulmões que teríamos de "engolir" a realidade de que não tem como ficar de fora dessas redes. Do Facebook, em particular.
Pior que ela está certa.

TUDO está relacionado àquela rede! Inclusive, pessoas conheceram este blog porque postei um link lá, ou porque tem a página do blog por la, tal e coisa, coisa e tal.

A verdade, pra mim, pelo menos, é que estranho muito o fato de, às vezes, eu cruzar com pessoas na rua, eu fazer AQUELA CARA DE OI, e simplesmente ser ignorado. Não que eu esteja brigando pelo título de "Mister simpatia" (nem sei se isso existe), mas ué... Me adicionou, enviou solicitação, e quando nos encontramos, é esse gelo?
"É Márcio, mas você já passou por mim e não me cumprimentou!"

Quem me conhece sabe que tenho o costume de cumprimentar até quem não conheço!
E realmente, cumprimentar alguém não é obrigação, mas conhecendo, é educação! Eu pelo menos, penso assim! Por isso que, quando tenho a oportunidade, digo para chamarem minha atenção quando eu estiver "voando" na rua, e por isso, de repente, não ver a pessoa! Não é por mal. É falta de atenção mesmo!

Uma amiga que tenho, sempre brigava comigo pelo motivo de eu chamar toda e qualquer pessoa do Orkut (sim, isso vem de tempos) de "amigo", "amiga".

Ela dizia que amigo, amiga, são as pessoas com quem convivemos, partilhamos e compartilhamos de perto a vida. E ela sempre esteve certa. Hoje reconheço, e ajo assim. Quando vou me referir à alguém do mundo digital que não conheço pessoalmente, digo "um conhecido da internet", "uma conhecida no Facebook"... Não que eu diga isso porque essa minha amiga me convenceu, mas porque ela está certa!

Administro algumas páginas no Facebook. Nesse caso, a rede é interessante, pois aproxima pessoas em torno de algo em comum. Mas qualquer um vê o quê aquele lugar se tornou. É uma mendicância por likes, joinhas e afins, que pelo amor de Deus. Algumas pessoas faziam questão (digo faziam porque já as excluí da minha página faz tempo) de postar fotos de pessoas despedaçadas em acidentes. "Se você acredita que esse anjinho foi pro céu, deixe o seu amém", ou ainda: a imagem de Jesus, e do diabo. "Se você crê em Jesus, diga amém. Se não, apenas olhe."

Gente, a internet acabou trazendo à tona, muito do pior que existe dentro do ser humano. E digo isso, preocupadamente. É só ver o surto de racismo e outras coisas que vemos nas redes por aí. Sempre existiu, mas a internet, deu vasão.
E tem mais: muitos que compartilham da mesma ideia, começaram a se encontrar, e a ganhar força, coragem, para serem quem sempre foram, mas que não tinham "voz nem local" para fazê-lo.

Antes de encerrar, partilho com vocês uma coisa que me deixou feliz, no último sábado!

Quem me conhece, daqui mesmo do blog, sabe que sou uma pessoa atuante na Igreja há tempos (sou Católico, pra quem não sabe). Estava numa reunião e, ao fim da mesma, uma senhora veio me procurar, dizendo que ela havia assistido a uma pregação com o Padre Léo,scj que eu havia compartilhado lá na rede social azul-escuro. E mais: as pessoas da família dela gostaram tanto, que compartilharam o vídeo, o que acabou fazendo muito bem à uma pessoa específica.

Ou seja, cada um usa a rede e as redes sociais de acordo com o quê deseja fazer. Seria importante tomarmos conhecimento de que lá não é terra de ninguém, e que existem crimes virtuais e penalidades para os mesmos.

Sair do Facebook, hoje em dia, é muito difícil.
Usemos então, da melhor maneira possível.
Esse texto, seria classificado como um "textão"! É assim que chamamos quando alguém posta algo gigantesco lá, geralmente, dando lição de moral. O intuito desse post, de maneira alguma foi chamar a atenção de quem quer que fosse, de quem quer que, pacientemente, chegou até aqui.

Continuo por lá, e esse post será compartilhado por lá também. Já aviso, para não parecer hipocrisia de minha parte. Vale a máxima: "Tudo o que é demais, estraga."

Pra encerrar, deixo aqui um vídeo que me fez ter vontade de sumir de lá de vez, mas que, ao tentar, não consegui, por ser adm de umas páginas, e ter muitos apps do Facebook. No vídeo, no Youtube, se você acessar os comentários, verá que também escrevi um! Havia decidido deletar, mas não deu mesmo. Fica o aviso!

Aos olhos e corações sensíveis, digo que o rapaz escreve uns palavrões nas páginas que ele mostra, e estão legendados. "Mas Márcio, tem criança lendo!"

Num mundo perfeito (e utópico), os pais e/ou responsáveis teriam mais cuidado com o quê seus filhos/pupilos veem na internet.

Tenhamos uma maravilhosa quarta-feira
Abraço, e até a próxima.
Fique com o vídeo. Assista, e tenha/mantenha a sua opinião.

Postar um comentário