sexta-feira, 30 de dezembro de 2016

A SAUDADE DO DIVÃ

Olá, gente!

Nos últimos dias, tenho experimentado a saudade de postar por aqui. Faz tempo, né?
Cinco meses longe dessa página. Tanta coisa aconteceu de lá prá cá.
É como se eu voltasse a falar com um amigo de há muito tempo, após um baita tempo de hiato.

Hoje é 30 de dezembro de 2016. Penúltimo dia do ano.
Ano esse no qual muitas estrelas da mídia nos deixaram. Caso mais recente foi o da atriz Carrie Fisher, a princesa Léia, da saga Star Wars. E a mãe dela foi no dia seguinte.

Poucos dias antes, no Natal, pra ser mais exato, lá ia George Michael.
A geração de agora pode não conhecê-lo muito bem. Eu, porém, sendo de 80, lembro bem da explosão que foi "Careless Whisper", com o famoso início no instrumento de sopro.

É, minha gente...

Sei lá. Tenho a impressão de que 2016 passou muito rápido.
Começou ontem. Termina amanhã.

Ciclos se fecharam, pessoas se foram, realidades perderam seu significado, outras, para alguns surgiram, outras, para outros, viraram vapor.

Personalidades se consolidaram.
Outras se perderam.
E não mais se encontraram.


"Pois não, Márcio. Continue falando."

Sei lá, doutor. Acho que não tenho muito o quê dizer.
Eu amava falar. Mas já há algum tempo, tenho preferido o silêncio. Não sei até onde isso significa algo bom, ou se aponta justamente o contrário. Sei que tenho saudade, mas com dois empregos (graças a Deus), minhas madrugadas se foram. Nesse sentido, não tenho me reconhecido! 

Sempre gostei de ser notívago!
Mas foi-se o tempo. 
Adorava ficar conversando até altas horas, nos Messengers e WhatsApp's da vida (saudade de verdade tenho do MSN, aquilo sim era Messenger). Mas quê???

Simplesmente apago!
Idade?
Talvez.
Cansaço?
Certeza.

Mas vem junto, a alegria de saber que logo no dia seguinte, tenho pra onde ir, e tenho de onde voltar.

Isso aqui é o tão odiado "textão" que as pessoas abominam no Facebook!
A ironia está no fato de eu usar essa rede social para publicar o link para que possam ver esse textão!
Sim, claro. As imagens e vídeos nunca faltarão nos meus posts. Mas tava mesmo com vontade de escrever. Pegar essa página em branco e simplesmente começar a digitar. Lembrar dos tempos de escola quando a professora dizia que a tarefa do dia seria Redação! Eu adorava. A maioria da sala sempre odiou construir algo dissertativo. Já eu, abria aquele sorriso e já perguntava se tinha tema ou se era livre.

Tô falando tudo sem nexo, né doutor?

"Não tem problema. É fato que isso denota uma certa bagunça dentro de você, mas com o tempo as coisas vão se ajeitando. Você acabará se encontrando."

Se o senhor diz...

Bem, não quero mais tomar o seu tempo.
Garanto-lhe somente que minhas memórias serão espalhadas pelos megabites da internet, não porque queira projeção (acredite, isso é um saco), mas simplesmente por liberdade criativa, que sempre me fez tão bem, e que deixei ir morrendo aos pouquinhos, pelos cantos de minha existência. Há muito o quê percorrer. Ser adulto implica isso. Mas sei que chegarei lá! 2016 já praticamente foi.
Que 2017 traga boas surpresas e boas realizações.
Para mim, que crio esse texto, e pra você, que me deu a honra de ter chegado até aqui.

Postar um comentário