sexta-feira, 24 de agosto de 2012

"Vontade não sei do quê! Saudade não sei de quem!"

- ... sei lá, doutor... Mas dizem que falar, melhora!

- Sim! Melhora sim! Mas o que você tem a dizer?!

- Aí é que está o problema! Não sei o que quero dizer! Só sei que quero fazê-lo!

- E o que você quer que eu faça?!

- Não sei! O profissional é o senhor!

- Mas o fato de eu ser profissional não me faz adivinho! O senhor sente alguma coisa?

- Aaaah, doutor... E quem não sente...?

- E o que é esse sentimento?!

- Vontade não sei do quê! Saudade não sei de quem!

- Nossa, companheiro! Seu estado é grave! Não seria amor?

- Não, doutor! Não amo ninguém há anos!

- Então pode ser a falta disso!

- Falta de amor?! Não... Penso que não...

- Olha... Assim fica difícil de ajudá-lo. Preciso de algo concreto! 

- Mas se não tenho... O que fazer?!

- O que você não tem?

- Algo concreto! Tudo é tão abstrato... As pessoas são abstratas... A realidade é abstrata...
Ninguém mais se toca, se beija, se conversa... Tudo é uma correria só... Essa selva de pedra... Essa velocidade que nos tira a paz e o sossego...

- Já sei! O senhor precisa de férias!

- Mas eu estou desempregado, doutor!

- Você precisa de férias de si mesmo! Você tá enlatado! Deixe um pouco de ser quem você ostenta ser! Volte a ser criança! Brinque! Ouça música no último volume! Assista desenhos animados! Veja filmes variados! Aqueles que você nunca se permitiu ver! Deixe o seu "eu" transparecer um pouco, sem medo do que as pessoas pensarão ou dirão!

- É doutor... Não seria má idéia... Realmente, sempre me preocupei com isso!

- Tá vendo?! Se preocupando com isso, você deixou de ser você, para ser alguém para agradar alguém! Perdeu sua personalidade! E isso, para uma pessoa, é fundamental! Afinal, se você sabe que você não tem sido você... Quem será você então?!

- É verdade, doutor... Não sei mais quem sou eu... Nem lembro mais como ser eu... Meus gostos, vontades...

- Então! faça o seguinte: Viva! Sem medo de ser feliz! Sem se preocupar demasiadamente! Você não sairá vivo dessa vida! Aproveite cada dia como se fosse o último! Dê atenção às pessoas que o amam e que o querem bem! Não se preocupe com aquelas que querem vê-lo pelas costas! Perder um minuto é tempo demais!

- Ok, doutor... Verei o que posso fazer!

- Sim! Volte dentro de um mês! E veremos como se sairá!

O homem estava mais radiante do que estivera nos últimos anos!
Saiu do consultório com o firme propósito de conhecer alguém que há muito ele deixara de conhecer: ele mesmo.


Postar um comentário