segunda-feira, 2 de abril de 2012

Sobre preocupações exageradas...

O assunto tem sido recorrente em minha vida nas últimas semanas!


Preocupações com coisas que não são de sua alçada!
Coisas que você não pode (e que no fundo nem deve) mudar!

Inclusive, isso foi recomendação médica para mim!

Tempos atrás, lendo um livro do Augusto Cury (O vendedor de sonhos), estava refletindo sobre isso!
Hoje em dia, o "comum" é as pessoas se irritarem facilmente umas com as outras. O "normal" é viver num ambiente de estresse, se estressando e estressando as pessoas ao seu redor. 
Resultado de uma vida corrida e competitiva, na qual se você não é o melhor, fatalmente ficará para trás!

E as pessoas cobram isso de você! Desde pessoas da família, amigos e afins!
Não creio que o façam por maldade. Muito pelo contrário! Muitas vezes, querem é te ajudar!

Mas essa pressão psicológica é no mínimo tensa!

Daí você resolve um belo dia que passará a se preocupar mais com as pessoas, com questões que você acha que poderá resolver e... Percebe que você não pode fazer bulhufas!

Em relação às coisas, difícil. 
Cito o exemplo da politicagem, que já me deixou doente uma vez!

O doutor falou pra mim que de nada adianta eu me preocupar com a situação atual, e que isso só faria mal pra mim! Que era pra eu curtir mais a vida, sem me preocupar com isso!

O único senão pra mim, nessa história, é que eu tenho a impressão de que me tornaria uma pessoa muito passiva em relação à questões que envolvem o lugar onde moro, a cidade e o país!
Mas daí me pergunto: Vai realmente adiantar alguma coisa perder meu sono?!
Não me candidato à nada, porque tenho certeza de que os projetos não passariam pela Câmara dos Vereadores. Essa maldita coisa de situação/oposição tranca tudo pro povo, que é quem os elege. 
Não interessa se o projeto é bom! Só será aprovado se a maioria for à favor. Já vi isso acontecer aos montes aqui onde moro.
O mais legal, é que durante as eleições, "nossa legenda é Caçapava". 
Basta assumirem o poder que isso acaba. Fato.

E em relação às pessoas, às vezes acredito que a gente se preocupa mais com os problemas delas do que com elas próprias!

Tipo, você sabe que algo não vai bem na vida de alguém, e esse alguém é um amigo seu, por exemplo!
Daí você vai, procura estar perto, conversar, aconselhar...
Daí o bendito vai lá e faz tudo do contrário do que você disse e aconselhou. 
Você perdendo o sono e o fulano nem azul com os conselhos que você deu!

"Aaaaaaah! Mas você fez sua parte!"

SIM! Fiz minha parte, perdi meu sono, arrisquei pegar uma úlcera péptica, pra... NADA!

E parece que as pessoas fazem questão de demonstrar que não estão nem aí.
E essa teimosia em achar que podemos mudar a maneira de pensar de muitos...

"Quem tem que mudar sou eu", né Ricardo Sá?! Rsrs!

Acredito que isso seja um mal costume. Mas como digo, costume é algo que a gente adquire, mas que perde também!

Hoje em dia, na minha humilde e singela opinião, o melhor a se fazer nesses casos é rezar por pessoas e situações, e deixar nas mãos de Deus! Sem se preocupar exageradamente.

Porque senão, você é quem vai estar doente logo logo, sem poder arrumar nada, e não estarão nem aí com você. Triste, mas real.

Infelizmente, somos muito egoístas. A gente estando bem, o resto que se lixe. 
É algo intrínseco. Até automático. Algo selvagem. Lei da selva.
E quase nunca queremos admitir isso. 

Mais uma vez, volto ao livro do Cury, que fala muito bem sobre esse tema do egoísmo: essa maneira de pensar é fruto de uma realidade na qual vivemos constantemente.
E precisamos torcer para viver da melhor maneira possível, sendo suportáveis uns aos outros.

Encerro hoje com um vídeo de uma música que toca no filme "De repente é amor".
A banda Jet anunciou seu fim na semana passada. E pra mim, essa música é uma das mais bonitas deles! Como tantas outras, tristemente bela! Look what you've done!

Aquele abraço, e tenhamos uma excelente segunda!
E sem preocupações exageradas!


Postar um comentário