segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

PAGE 23 OF 366: VALEU A INTENÇÃO DAS FLORES

Programei o relógio para despertar o mais cedo possível, para eu ir atrás das sementes!
Das melhores possíveis!
Porque acredito que por essa meta, cada esforço vale a pena!

Que frio!

O vento estava de cortar! Mas por nada mo mundo eu desistiria de minha meta!

Não!

Eu iria atrás das sementes das roseiras mais lindas!
Mas num momento, aprendi que as roseiras não tinham semente, e sim, mudas!

"Mudas?! Como assim, meu senhor?!"

Ele que está 50 anos à frente de minha idade, explicou pacientemente um pouco mais sobre os cuidados em relação às flores!

"Se você quiser atrair as mais lindas borboletas, invista!"

Sim, claro! Essa era a minha intenção!

Rosas vermelhas, azuis, lilás... Tudo para atrair!
Cheirosas, "perfumosas", como diriam no interior do interior!

Mas será que elas me trariam você?!
Quem sabe! Quem sabe a tentativa, valeria a pena!

Preparei o jardim! Reguei com cuidado!
Peguei um livro, e esperei. Mas não foi hoje o dia.

E a cada dia que passa, parece que a espera aumenta, fica maior, e nada de você aparecer.
Pensei comigo que poderia ser por causa de algo que eu não estivesse fazendo direito.

Pensei em procurar o sábio ancião, que parecia ter saído de uma das obras de Tolkien, mas infelizmente não o encontrei mais...

E você não vem.
E você não veio.

Mas continuo esperando, cuidando do meu jardim. Ele está aqui, preparado pra você!
É verdade! Algumas abelhas estiveram me visitando!
Até me tiraram uns sorrisos!
Mas além dos sorrisos, me tiraram também urros de dor! E lágrimas!
Uma delas resolveu meter uma ferroada na ponta do meu dedão!
Misericórdia! Como pode uma abelhinha causar tamanha dor?!

Intensidade! É o que falta em tanta gente hoje em dia.

Bem, mas isso passou! O ferrão já saiu. E tô pronto pra outra.
Não outra ferroada! Outra espera, outra oportunidade!

Cadê você?! Você não veio...
Mas não tem problema. Continuo te esperando.
É verdade. As primeiras flores, as primeiras rosas já morreram, já murcharam. E você não chegou.
Mas novas vieram para esperar comigo por suas asas esvoaçantes, cores vibrantes e alegres cores.

Ainda assim, você não veio.

As borboletas não vieram.
Mas valeu a intenção das flores.



Postar um comentário