terça-feira, 17 de janeiro de 2012

PAGE 17 OF 366: O BARULHO QUE O VENTO FAZ

Ouço,  aqui de dentro de casa, o som do vento forte que atinge as venezianas.
Sei que preciso ir, pegar o rumo, o caminho... Que já conheci tão bem.
A diferença, é que você sempre caminhou comigo. Sempre tive suas mãos para me guiar.
Não me sentia só.

Hoje é diferente..

Não tenho mais o calor de suas mãos, o brilho do seu olhar. Por onde andará?!

Abro a porta. O frio toma conta de mim.
Não o frio do tempo. O frio do clima. 
Mas o frio da falta que você faz.

Alguma vez você já se sentiu sozinho, ou sozinha?! Perdido... Perdida em meio a um caminho que você conhecia tão bem?!

Não posso me importar com isso. Preciso seguir em frente.
A vida é feita de costumes que você adquire, mas que você também perde. De um jeito ou de outro.

Aceito o desafio. Olho a estrada. Vou encará-la sozinho. Vou caminhando, com o vento firme e forte contra o meu rosto. Sei que chegarei até o fim! Deus não abandona! Ele sempre está caminhando com a gente!
Ajudando no processo da cura do vazio que você deixou.

Não tenha medo de momentos assim. Todos passamos, num determinado momento da vida, cada qual a seu tempo, por momentos assim. Não esteja só. Esteja à sós com você mesmo.
Pense. Medite. reveja conceitos. Veja o que realmente é importante e o que realmente vale a pena.

Não tenha medo de fazer uma faxina no seu coração. Não acumule lixo. Não deixe que as sobras estraguem. Siga em frente!

Sigo vivendo assim!

E sei que uma hora ou outra, verei novamente o caminho que sempre trilhei. Com você me esperando, ao final!




Postar um comentário