domingo, 29 de janeiro de 2012

PAGE 29 OF 366: ALÉM DO SILÊNCIO, O SOM DA CHUVA

É o que estou ouvindo nesse momento.
Faltam dez para as cinco da manhã. O sono, hoje não veio.
Somente a chuva continua em sua incansável hora extra.

Olho para a tela do meu PC, e me pergunto: Escrever sobre o quê?
Escrever sobre quem?! Você?!

Pra mim, a madrugada sempre foi uma musa inspiradora!
Aliás, a chuva também!
Quantas e quantas vezes, embalado pelas idas horas das madrugadas, eu começava um texto e, quando percebia, ele já estava mais longo do que deveria estar?


Mas não tem problema!

Sou amante das palavras, como já escrevi aqui!
E mesmo que, de repente alguém, por um motivo ou por outro caia aqui, nesse blog, desista de ler por causa do tamanho do post... Ainda assim estarei feliz!

O som da madrugada, é o silêncio. Eventualmente, cães latem ao longe.
O som constante, é esse aqui, da chuva!

Estarei me ausentando por um dia e meio da internet!
Mas fique tranquilo! Os posts estão programados pra meia-noite e um!

Sim, porque desde que me propus a postar um post (péssima, mas necessária redundância) por dia, sempre dou uma passadinha por aqui, num costume de acompanhá-los nas leituras, e também para poder apreciar os blogs de outros autores e autoras que amo!

Inclusive, devo sair aqui de casa, às 08h00!
Faltam portanto, três horas e dois minutos para isso...
Mas sem problemas!
Quis deixar essas palavras!

Aliás, quando você estiver lendo esse texto, já terei passado o sábado todo com minha "tchurma", numa chácara com uma piscina maravilhosa, na qual entrarei faça chuva, faça sol! Rsrsrs!

Prometo que farei um, dois ou mais cliques lá, com a galera, pra postar aqui depois!

Hoje, mais de noitinha, passo aqui, para dizer mais um oi!
Obrigado pela honra de sua leitura!

Falo aqui, muito à vontade, pois sei que é um espaço no qual posso me dirigir à você como o amigo internauta que sou!

Essa música, dedico especialmente à você, que teve a coragem e a vontade de ler todo esse texto, que escrevo no sereno silêncio dessa madrugada! No barulhinho delicioso e encantador dessa chuva... Que cai.
Sem ter hora pra parar.



Postar um comentário