segunda-feira, 4 de agosto de 2008

Por saber que você existe!

Fui andar logo pela manhã hoje! Queria ter um contato cedo com a mãe natureza! Incrível como faz bem respirar o ar puro que as manhãs nos reservam! Senti-me privilegiado por ter a oportunidade de acordar e caminhar!

Com o celular de meu irmão, que tem uma capacidade incrível de armazenagem de imagens na memória (no meu não cabem tantas assim), parti em minha missão de ser feliz, contar os minutos até as nove horas. E capturar imagens para colocar no computador!
E não é que encontrei?! E tem uma coisa interessante: A natureza fala! Sim! Incrível!

E é tagarela! Você me conhece, sabe que sou também! Tadinha! Espero que não a tenha "deixado no chinelo", pois a cada assunto que ela trazia, eu rebatia com outro argumento!

O primeiro ser foi o majestoso Sol, figurinha já carimbada em meinhas crônicas!

"Bom dia, Sol!"

"Bom dia, Márcio! Que acha de minha luz essa manhã?!"

"Ah, 'boinha!'"

"Como assim 'boinha?!'"

"Ah, seu Sol, é que acordei e já me lembrei q na vida existe sempre alguém que irradia uma luz interior também que nos enche de alegria! Nada contra a sua luz, que aquece nossos corpos e é essencial à vida! Mas nós, seres humanos, precisamos também de uma luz que aqueça nossas almas! E minha amiga que vai ler essa crônica sabe que é dela que estou falando!"

E o Sol abriu um sorriso! Bonito da parte dele! Não ficou se gabando de ser o Astro-Rei e ter a luz que denomina "Dia" todo dia!

"Ah! Pois me diga, quem é essa pessoa, que tem a capacidade de aquecer as almas nesse Amor que com certeza, só pode vir de Deus, meu criador?!"

Daí eu disse: "O senhor deve conhecer! Sabe a Kátia, esposa do Xande?! Então! Ela é assim! Não por ser minha melhor amiga, mas por conhecê-la um pouquinho mais na alma, sei que a alma dela aquece os corações que a cercam!"

"Mal vejo a hora de vê-la hoje!"

"Mas ela ainda deve estar mumindo!" - Disse eu ao Sol!

"Pois quando ela acordar, farei questão de iluminar o dia de uma forma mais bonita para ela!"
"Agradeço, Sol! Vou nessa!"

E deixando que ele continuasse a me aquecer, louvei a Deus por ter minha alma aquecida pela sua linda amizade!

Andando um pouco mais a frente, o rio! Que bonito! Já foi mais cheio, em volume e em vida, mas ainda assim nos ensina também, pois "tudo o que Deus faz é bom, belo e perfeito!"

Cumprimentou-me saudoso! Perguntou se eu havia caído da cama! Sorri educadamente e disse que não! Ele parecia estar um pouco triste!

"Por que essa aparência tão tristinha, senhor rio?!" - Perguntei!

"Ah, Márcio... Estou assim porque não tenho amigos... Muitos peixes nadam e mei interior, mas não os conheço bem! Vão prá lá e prá cá, mas não conversamos sobre nada. Não me dão atenção... Queria conversar com todos eles, mas fica difícil. Até falo com alguns, mas falta ainda alguma coisa!"

"Falta mesmo! Falta eleição!"

"Eleição?! Como assim?!" - Perguntou-me incrédulo o rio!

"Sim senhor! Falta eleger aquele peixe com quem o senhor poderá destrinchar a alma! Rasgar o coração! Transbordar um amor especial de amizade! Sei que no seu interior existem vários peixes, mas o senhor deve escolher um entre esses peixes para que ele seja seu melhor amigo! Um peixinho que poderá ser seu suporte para dias assim, de carência, de tristeza... Mas também companheiro nos dias de alegria e júbilo!"

Vi então que os olhos do rio estavam cheios de água (a redundância é proposital)!

"Puxa! Dece ser lindo ter alguém assim! Você experimenta isso?!"

Aaah! Foi a brecha que eu esperava! Falei de você, de como é maravilhoso ser seu amigo, as brincadeiras, dos momentos sérios, dos risos e lágrimas! Nesse ponto, o rio chorou!

"Que bom que você veio aqui hoje! Precisava ouvir algo assim! Que bom que existam pessoas para melhorar a nossa vida!"

"Penso o mesmo, senhor rio... Penso o mesmo!"

Dei-lhe um lenço de papel, que de nada adiantou! O papel desfez-se na água do rio! Ele sorriu, e aproveitei para exemplificar:

"Tá vendo, senhor rio?! As amizades verdadeiras são como o senhor e esse papel! De tão unidos, misturam-se, confundem-se um no outro! Tornam-se um só no coração!"

Deixei-o, mais feliz!

Continuando a caminhada, olhei para o céu repleto de nuvens que riam e cutucavam uma a outra! Disputavam quem era a mais bela!

"Ei, você aí! Pode nos ajudar?!"

"Não!"

"Não?! E por que não?!"

"Simples! Vocês estão brigando para descobrir qual das duas é mais bela! Mas olhando vocês, lembro de alguém que é linda por fora e por dentro! Não tão branquinha como vocês, mas com a alma mais clara do que isso!"

Com uma cara de dúvidas, passei a ensinar-lhes lições que já aprendi com você! E óbvio! Falar da beleza interior e também da exterior!

"Então, dona nuvem! De nada adiantaria se ela fosse apenas linda por fora, mas horrível por dentro! Assim como ela, vocês tem a benção de ser lindas! Mas como ela, busquem o principal, que é o que mais conta: o interior! Daí, o que já é belo por fora, torna-se ainda mais maravilhoso de se ver e apreciar!"

Uma chuvinha começou a cair, e eu perguntei:

"Olôko! Um lindo dia assim e vem chuva?!"

"Não é isso, Márcio! É que, pensando nessa pessoa que você nos disse, ficamos emocionadas!"

Pensei comigo: "Ê coração! Até as nuvens choram na sua!"

Adiante, falo com você, quando um bando de pássaros começam à cantar alto! Haviam escutado que você canta muito, e quiseram comparar!

"Pobres de vocês!" - Disse, sem dó nem piedade!

"Párem de gritar e vejam se vão aprender mais! Pois o verdadeiro canto é aquele que brota do fundo da alma, de dentro do coração! Até lá, querendo se mostrar, não chegarão à lugar nenhum!"

Já no fim da caminhada, em meio aos arbustos, próximos ao chão, deparo-me com uma minúscula flor. Única, em meio àquele local!
Abaixei-me para fotografá-la. Ela não disse nada. Muda. Calada.

Não sei se estava mumindo! Preferi fazer um breve comentário!

"É, flor! Nem sempre as palavras são indispensáveis! O seu existir já torna o ambiente mais feliz, pelo simples e maravilhoso fato de você viver e ser quem você é!"

Lembre-me das vezes em que, por muito falar, não disse nada! E prometi para mim mesmo que tomaria mais cuidado ao falar, para não estragar mais belos momentos!

Levantei-me de cima de minhas pernas, acenei para a flor, e deixei-a, nas sua tarefa de embelezar o mundo...

Assim como sua amizade embeleza minha vida! Valeu a pena ter madrugado! Rsrsrs!!!

Quanta coisa aprendi com a natureza!
Estou certo de uma coisa: Ela está mais contente hoje, por saber que você existe!


Postar um comentário